A chegada de um bebê é sempre motivo de felicidade.

Em se tratando do segundo filho mais ainda, porque nessa fase a família já está bem mais estruturada e madura para arcar com as responsabilidades, os cuidados e as demandas de espaço que o novo membro exige. Por isso é que o tamanho do apartamento também deve ser considerado.

Além da opção de buscar um novo apartamento, procure desapegar dos objetos antigos que o primeiro filho não usa mais. Truques para armazenar melhor as roupas e os brinquedos podem simplificar bastante a rotina.

Confira as dicas sobre como organizar o apartamento para a chegada do segundo filho e prepare-se para a nova fase sem nenhuma dor de cabeça!

 

Pratique o desapego

Muitos pais costumam guardar tudo da primeira gravidez: roupinhas, brinquedos, acessórios. A estratégia pode até ser útil quando o segundo filho está a caminho, pois significa economia e redução nos gastos. O que muitos pais acabam esquecendo é que aquele chá de bebê feito na primeira gestação acontece de novo. Ganha-se muita coisa, e o espaço, que já era limitado, pode ficar ainda menor.

Por isso, a dica é separar os itens com os quais realmente deseja ficar daqueles que podem ser passados para frente. Roupas de festa, casacos pesados e sapatos pouco usados podem ser guardados para o segundo filho, assim como o enxoval de saída da maternidade e mantas – se ainda estiverem em condições de uso.

 

Redobre a atenção ao armazenar o que for manter

Organize adequadamente o que for ficar para o segundo filho. Conserve tudo de modo a ocupar apenas o espaço necessário.

Lave todos os itens antes de guardá-los e separe-os por idade. Em uma sacola, coloque o que serve entre 0 e 3 meses; em outra, tudo o que for destinado dos 6 aos 9 meses, e assim por diante. Isso evita que as peças passem despercebidas e acumulem.

Prefira guardar as roupinhas em sacolas/sacos a vácuo. Eles ocupam menos espaço e dificultam a proliferação de fungos. Se sua casa for muito úmida, invista em um produto antimofo.

O conselho para peças grandes, como berços e carrinhos, é passá-los para frente. Além de ocupar muito espaço, elas possuem tecnologias e valores acessíveis no mercado, podendo ser trocadas facilmente por um bom custo x benefício.

 

Inclua o pequeno na organização

A chegada de um segundo filho pede um ambiente ou espaço próprio para ele. É importante pensar na logística da casa. Se não houver um cômodo específico para o quarto do bebê, considere adquirir um novo imóvel.

Se não houver um cômodo para o segundo filho, certifique-se de delimitar um espaço dentro do quarto do irmão apenas para ele. Você pode fazer isso com móveis, cores na parede, decoração etc. É uma forma interessante de o filho mais velho não se sentir invadido.

Cada criança deve ter seu próprio espaço. Isso ajuda no desenvolvimento saudável da psique, estimulando o pequeno a descobrir o mundo conforme o próprio ponto de vista.

 

Fonte: www.youinc.com.br