A PLR (participação nos lucros ou resultados) é um benefício previsto na legislação desde 1946, embora só tenha sido regulamentada no ano 2000. Trata-se de um benefício oferecido pelas empresas aos colaboradores que têm suas metas alcançadas.

Para isso, algumas organizações adotam o pagamento proporcional à participação do funcionário no projeto. Outras, no entanto, estipulam um índice geral e igualitário.

A melhor parte desse benefício é que não são incididos encargos trabalhistas. Assim, além de ser vantajoso para a empresa, que incentiva os colaboradores a atingirem os objetivos, é interessante também para os funcionários, que recebem uma renda extra e podem fazer um planejamento financeiro com base nessas receitas.

Mas o que fazer com esse dinheiro? A dica é investir em algo palpável e durável, evitando gastar em supérfluos. Uma boa ideia é comprar um imóvel para sair do aluguel ou para adquirir renda pela revenda ou locação da propriedade. Quer saber mais como funciona a PLR e como usar esse valor para comprar um imóvel? Entenda, a seguir!

QUEM TEM DIREITO AO PAGAMENTO DA PLR?

Todos os funcionários de empresas que estejam trabalhando sob um acordo preestabelecido de recompensa têm direito ao pagamento da PLR. Porém, não entram nessa regra os funcionários públicos.

Organizações que trabalham com essa prática também devem estender o benefício a colaboradores temporários ou que se encontram em período de experiência. Existe, ainda, uma discussão a respeito do pagamento da PLR a diretores e prestadores de serviços, principalmente no que diz respeito às questões fiscais.

COMO É CALCULADO A PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS OU RESULTADOS?

Não existe um cálculo para o pagamento da PLR. As companhias podem criar suas próprias regras e métodos, desde que tudo esteja de acordo com a convenção coletiva de trabalho.

Existe, portanto, a liberdade de que os gestores criem, juntos, uma política de pagamento. No entanto, vale destacar que esse benefício só pode ser oferecido em uma frequência superior a seis meses.

Além disso, é essencial que as empresas cumpram o que foi acordado. Pode ser feito um cálculo proporcional à participação nos projetos ou então é possível estabelecer um índice único para todos.

Caso as metas e objetivos não sejam alcançados, a empresa não tem a obrigação de fornecer o pagamento aos colaboradores.

COMO USAR NA COMPRA DE IMÓVEL?

Se você quer comprar a casa própria ou adquirir um imóvel para aumentar seu patrimônio, a dica é começar a poupar. Caso você já tenha esse hábito, é hora de investir esse dinheiro em algo durável e que valoriza a cada ano.

Desse modo, você pode usar esse valor como entrada em um financiamento imobiliário. Lembre-se de que, quanto maior a entrada, menor o período de financiamento e mais baratas ficam as prestações.

Outra opção é usar seu dinheiro para amortizar o valor do imóvel. Como o pagamento da PLR é feito com uma frequência padrão, é possível que você se planeje para fazer pagamentos anualmente ou duas vezes por ano. Se preferir, utilize também o saldo do seu FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para deixar esse valor ainda mais “rechonchudo”.

Apartamentos e casas na planta são ótimas opções para quem não precisa do imóvel em curto prazo. Além de mais baratos, as construtoras costumam facilitar o pagamento e oferecer benefícios aos compradores.

A participação nos lucros ou resultados é um benefício previsto na legislação. O pagamento é benéfico tanto para as empresas, já que motivam os colaboradores a atingir os resultados esperados, quanto para os colaboradores, que recebem uma renda extra e podem investir o valor na compra de imóveis.

Fonte: http://www.img.eng.br